3. Educando o publico dentro e fora de um espetaculo de rua

“Eu so darei dinheiro se for algo realmente espetacular. Caso contrario…”

(alguém do publico em relação ao chapéu do artista)

Saì no final de mais um dia de trabalho angustiado, afinal, minha tentativa de fazer um espetaculo especialmente dedicado aos fãs da “Féria” tinha sido um fracasso. Não um completo fracasso. Na minha cabeça, não conseguia entender o porquê, em determinados momentos o publico ia embora. Eu julguei o espetaculo engraçado. Muitos julgaram. Mesmo assim, muitos estavam partindo. Inclusive na hora do chapéu.

Me questionei onde estava o erro. Precisava entender o que estava acontecendendo e onde EU estava falhando, afinal, “não existe publico ruim, existem artistas que não chegam la”. E para mim, essa sensação de “não chegar la” era horrivel. Sensação de ser vazio; ser um nada; um completo idiota.

Mas, desde quando um Palhaço não deve sentir-se idiota? Logo, meus “ensinamentos filosoficos palhacisticos” se confrontavam com a dura “realidade perfeccionista do circo”. No circo existe o virtuosismo. Não existe espaço para o erro. VOCÊ NÃO PODE ERRAR!!! Se o publico “perdoa” o erro do artista, o artista sente vontade de suicidar-se quando algo não sai conforme o esperado. Muitos dirão: “você esta exagerando” ou ” não são todos assim”. Bem, claro que existem excessões, mas até aqui, 25 anos de existência nesse mundo, nunca vi um artista nao ficar triste e melancolico apos um erro. Para ser mais amplo, nunca vi um SER HUMANO ficar bem apos um erro. O erro mexe com tudo e todos. 

Espetaculo em Paris

Ao chegar a minha caravana, (aqui na França, caravana siginfica casa,mas ainda moro em um trailler, que afinal é a minha casa!!!), relembrei momentos do espetaculo. Reescutei a musica (que por sinal, tinha dado muito trabalho para editar), refiz alguns movimentos, repensei o espetaculo… Mas acima de tudo me questionei: “o que esta errado? O que estou fazendo de errado? Eu não sirvo para nada mesmo!”

Pensamento do narrador:  “A gente se sente assim não porque quer se sentir assim. Mas a pressão moral que é exercida sobre nos, todos os dias, é algo amedrontador e cruel.”

Então, vem aquele “raio de idéia”.  Aquilo que, se você não esta atento, nem percebe direito. Na verdade, no começo não é nada. Apenas um “idéia idiota”: “por que você não apresenta o seu espetaculo antigo?”

(pensando e falando sozinho como se estivesse dividido em dois. Parece loucura, mas em momentos de decisão tenho um “EU RACIONAL” que me da broncas e um “EU BONZINHO” que da idéias e perdoa essas mesmas broncas buscando soluções plausiveis para as coisas)

EU RACIONAL: “Que? O espetaculo antigo? Mas não!!! Todo mundo NÃO estava apreciando o espetaculo antigo em Montpellier. Foi justamente isso que fez você repensar e fazer outro show… VOCÊ não pode fazer isso!!! Vai contra todo o meu/seu trabalho. Trabalhamos duro para montar esse novo show e assim, de uma hora para outra você quer mudar?”

EU BONZINHO: “… … … … … …”

EU RACIONAL: “E desde quando você começou a pensar que pode mudar assim sem me consultar? Tem outra, é preciso tempo para trabalhar e mudar as coisas. Não se pode por-se ao risco dessa forma. Você acha que o outro espetaculo é melhor? Por que? O que ele tem de melhor? O que você tem de melhor? Onde esse mundo vai parar? Esses “artistazinhos” pensam em fazer sem pensar no que fazer. Não é assim que funciona. é preciso método e coerência nas atitutes. E você, você parece ser um cara coerente. Mas em casos assim, você me entristece. Fica igual a todos os que por algum motivo querem se por ao risco. O melhor é fazer como todos normalmente fazem: desista dessa idéia!”

EU BONZINHO: “… … … … … …”

EU RACIONAL: “Você ainda não esta convencido? Ei! O que você esta fazendo? Esta pegando os objetos do outro espetaculo? Por que? Não me diga que esta realmente pensando em… Não! Então esta bem. Não falo mais nada. Faça como quiser. Mas não diga que não avisei.”

EU BONZINHO (sem dizer nada so pensando): “quem nao tem a audacia de mudar, mesmo no ultimo segundo antes de entrar na cena, nao serve para servir a arte.”

Então, em disputa até “com você mesmo”, você decide mais uma vez mudar tudo para agradar publico. O que eu mudei? Bem, o espetaculo atual esta “tradicional”, com musicas tradicionais. Entretanto, olhando o publico que estava na “Féria”, conclui que aquele não era um PUBLICO TRADICIONAL, ou seja, não estavam a procura de algo relacionado ao evento. Uma rua onde a maioria dos quiosques é de comida e bebida, significa que mesmo os comerciantes da região compreenderam que aquela festa tinha se tornado comercial. Tradição? Pra que? Nesse momento me questiono a necessidade de matar o touro…

Enfim, acredito que mais importante do que os animais são os seres humanos. Isso não da a você o direito de torturar os animais. Mas, antes de lutar pela “total proteção de um animal”, luto pela “total proteção de um humano”. Antes de achar que um cachorro, touro, leão etc etc etc precisam de alguém para se defender, acredito que os humanos precisam se defender também. Pobreza, miséria, fome, escassez, catastrofes, injustiças, desgraças… São palavras que compoem diariamente o noticiario mundial. E aqueles que acreditam que um animal vale mais a pena do que um humano porque um humano é cruel e mal, lembre-se que crianças não nascem màs e nem racistas. Quer adotar um animal? Adote um humano! Ter cachorro é facil. Gato entao, nem se fala. Agora, educar um outro humano, para que ele não se transforme num ser egoista e maldoso onde um dia maltratara um cachorro, gato, touro, “aì é que são elas”!

Festa Medieval na cidade de SAUVE

Voltando para os “animais de Nîmes”, digo, para a juventude bêbada da “Féria”, sabia exatamente o que deveria fazer para atrair aquele publico. O que fazer para deixa-los de “queixo caido” e ser um sucesso. Queria mudar, mas sabia que o circo tem um poder de atração sobre as pessoas. Percebi que teatro é para o teatro. Não que ele nao possa compor minha cena, entretanto, uma cena teatral, por melhor que seja, ficara ainda melhor com algo espetacular do circo. A rua funciona assim. O publico quer ver algo dificil, algo fantastico. Claro que, pra ser fantastico, precisamos criar a atmosfera e ai entra o teatro. Logo, não podemos dissociar uma coisa da outra.

No espetaculo atual, eu usava musica tradicional. No antigo eu começava com “James Brown”. Ou seja, nem preciso dizer que, logo na primeira parte, mais de 100 pessoas se reuniam somente para me ver colocar uma corda no chão. Não preciso dizer que, quando eu começava o numero de equilibrios (claro que precisa dizer ué!) e saia saltando como um ginasta, mais pessoas se acumulavam, afinal, eu fazia o publico aplaudir e gritar. Essa é uma técnica da rua. Faça o seu publico fazer barulho, assim, todos os que estão passando, irão querer saber o porquê da bagunça e com certeza, pararão.

E o meu medo se concretizou verdade.

Quando estava indo para a “Féria” em minha bicicleta, no meio do caminho, pensei e chorei de novo. Estava triste porque não entendia: “por que não poder inovar? Por que uma nova tentativa não saiu como havia planejado? Estarei fadado a fazer a mesma coisa toda minha vida? De oculos escuros e olhos com lagrimas: esse era o Palhaço antes de chegar à “Féria”.

No espetaculo, o Palhaço “virou rei”. Com um “mini-strip-tease de Palhaço” e o espetaculo em minhas mãos, (conheço cada detalhe do show porque afinal, são quase 2 anos de existência), o publico foi ao delirio. Vi que o meu “produto” não era ruim. “Montpellier estava me enganando”. Quero dizer que aprendi mais uma lição: o que um circo faz quando fica um certo tempo em uma praça? Ele vai embora porque todo mundo ja conhece/assistiu seu espetaculo. Percebi que estava conhecido no momento em que muuuuuuitas pessoas me paravam para dizer “eu o assisti em Montpellier/ Le Grau du Roi/ La Grande Mote/ Paris, e você é realmente demais.” Isso quer dizer que o espetaculo é bom e “QUE ELE JA O ASSISTIU”. Quando você escuta não da muita importância. Quando pàra para pensar, entende que, esta chegando a hora de partir. Que mais uma vez, sera necessario deixar para tras toda a vida que construiu. Não que você não possa montar um novo show. Não que você não posso recriar sua forma de fazer. Não é isso. é que existe todo UM MUNDO que ainda não viu seu show. Logo, esse verão ainda estarei na França. Para o proximo, isso com certeza sera um enigma.

Sucesso absoluto, com muitas acrobacias e movimentos bem marcados, apos 4 espetaculos senti que poderia voltar para casa pois o dia estava ganho. Normalmente apresento até não poder mais. Até sentir que meus braços não suportam mais o peso do meu corpo. Por que? Porque eu amo o que faço. O aplauso do publico é como um droga que sou viciado 3.587%. Não é o dinheiro que é importante. Por isso entenda que, um artista de rua sabe os problemas que vai enfrentar. Sabe que o publico não é facil. Se você artista faz um circulo, você literalmente esta na merda pois o publico espera alguma coisa. E você tem que fazer. “Ih! Não fez?” ou “Ah! é isso?” ou “Puff!”. “Tchau”! O publico é cruel. As vezes até desnecessariamente. E avida continua…

Por essa razão, se você chegou até aqui, é porque esta interessado em como ser um bom publico para a rua.

Um artista sabe que sera dificil. O começo de um show é o mais tenebroso. Se quiser ajuda-lo, não fazer gracinhas é um bom começo para vocês jovens, ou seja RESPEITE-O. Ele esta ali porque quer, de alguma forma, fazer você sair do seu “mundinho ovomaltine”.

Para os demais interessados, não se sinta obrigado a aplaudir ou dar dinheiro porque um artista esta na rua. Ele esta la porque quer. Foi uma escolha pessoal. Ninguém o obrigou a ir para la. So que existe o preconceito do publico PORQUE O CARA ESTA NA RUA. Então, publico, quando olhar um artista na rua, por pior que ele seja, veja o “caminho percorrido até aqui”, quero dizer, tudo que foi necessario para que ele chegasse até a rua. Pondere quanto vale a auto-exposição de alguém que esta tentando ganhar a vida honestamente. Eu disse considere e não, ACEITE. Você pulico, não é obrigado a nada, não é obrigado a aceitar nada. Você é o juiz. Você é quem decide. E você, so você pode decidir o que é bom ou ruim. Você também pode decidir quem sera respeitado ou não.

A nòs artistas, cabe tentar ganhar seu respeito. Lembrando que na rua cada um passa com um objetivo distinto, sobra para o artista a peripécia de “te fazer parar para querer saber o que é que eu vou fazer”. é triste saber que nesse mundo louco e frenetico, quase nunca o publico tem tempo para entrar num mundo diferente, jogar com o artista.

1 centavo. 5 centavos. 10 centavos. 50 centavos… Os artistas adoram essas moedas. é verdade. Quem detesta são as pessoas que irão trocar esse dinheiro para os artistas. O que leva o publico a dar 1 centavo a alguém? Bem, se no momento você esta sem grana (e isso realmente acontece) mas você quer, de alguma forma expressar que gostou, mais do que com aplausos, é valido o seu 1 centavo. Agora, se você esta com pena, é melhor não dar nada, é melhor sair no meio do show, afinal, você ira poupar um grande trabalho depois. Veja:

“Chegar em casa. Tirar o dinheiro da mala. Separar as notas das moedas. Separar as moedas em altas e baixas. Moedas altas devem ser colocadas em paquetes. As menores também. Dai você conta o dinheiro alto. Coloca-o em paquetes. Depois as moedas menores. Essas são o saco! E você sempre precisa de no minimo 50 moedas para compor 1 PAQUETE. E quando você fecha a paquete, surpresa: 1 real.”

Escute seu coração e olhe ao seu redor: “quanto custa um sanduiche? Quanto custa uma cerveja ou um refrigerante? Quanto custa o onibus?”

Agora, depois de tudo isso bem pensado, mais o trabalho do artista até aqui, quanto vale o show? Melhor ainda, quanto vale expor-se?

VOCÊ TERIA A CORAGEM DE SE EXPOR ASSIM? 

correção ortografica: Wany Martinho

atenção: meu teclado é francês e por isso não é possivel acentuar algumas palavras. Por isso, a correçao da professora se da nos casos de concordância.

“Texto corrigido com amor e respeito ao Palhaço Milho Baunilha!!!”

(Wany Martinho)

One Comment Add yours

  1. Daah diz:

    Eh por essa e por outras que eu tenho muito orgulho de voce Raulzito. A questao nao eh so se expor mas sim ter coragem de viver daquilo que voce ama sabendo que nem sempre vai ser facil. Acho que essa questao vem antes do pensamento de se expor a situacoes em que, como vc mesmo disse, so te renderiam um real por dia…

    eh por isso que voce eh foda e um artista de primeira classe…

    espero poder ver seu espetaculo logo!!!!!!!!!

    all the best for you! always!

    adoro acompanhar suas historias, menino de ouro! bjinhos!!!

    Gostar

Compartilhe conosco sua opiniao

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s